Internet das Coisas vai gerar 2,5 milhões de empregos no Brasil até 2025



O Brasil tem potencial para gerar entre 1,9 milhão e 2,6 milhões de seo-automated-link-building-1 até 2025 com a disseminação do que convencionou-se chamar de internet das coisas. Mas essa multiplicação de objetos conectados à rede mundial exige uma alteração tributária fundamental, capaz de fazer variar o nível de investimentos entre R$ 130 bilhões e R$ 206 bilhões nos próximos 15 anos.

Conforme apresentado no Painel Telebrasil 2016, evento realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasilia, o Brasil pode ter entre 100 milhões e 200 milhões de objetos conectados até 2025. Isso equivale a multiplicar por 10 a realidade atual. O estudo elaborado pela Teleco indica que hoje há 20 milhões deles, a maioria carros (8 milhões) e traquitanas para pagamentos eletrônicos (4 milhões), além de objetos em casas (3,4 milhões) e na distribuição de eletricidade (3 milhões). O tamanho do salto depende do empurrão.

“A conectividade é o elemento principal, mas a contribuição em termos de receita da conectividade é menos de 5%. Hoje o que vemos é conexão de equipamentos de maior valor agregado. São navios, tomógrafos, tratores, colheitadeiras, porque é o que se viabiliza com o custo atual de conectividade. Para irmos a bilhões de objetos, esse preço da conectividade tem que baixar, o consumo de bateria tem que baixar. Começam a ter soluções no lado tecnológico, como LoRa, mas vão ter que acontecer mudanças regulatórias, especialmente tributárias”, afirma o presidente da Teleco, Eduardo Tude. Assistam a apresentação de Eduardo Tude.